domingo, 17 de janeiro de 2010

Morar sozinha é um saco.

Uma droga.
Tá, tá. Não é assim de todo mal. Tem sua parte boa, é claro. Tipo, a liberdade. Saí de casa ontem às nove da noite com a Rose e a Manu e só cheguei hoje, às quatro da tarde. (Calma, mãe, eu estou viva.)
Sem contar que, como eu estou sozinha neste fim de semana - o Matheus está em Foz e o Fabiano em Ponta Grossa -, a casa está uma zona: tem coisas minhas espalhadas por toda parte, e eu não estou nem aí. (Na realidade estou, o Fabiano chega amanhã e vai ficar feio se as coisas continuarem aonde estão; mas o fato é que eu só tenho que pensar em arrumar a bagunça mais tarde.)
Claro, tem outras vantagens, mas eu não estou afim de falar delas agora.
Estou a fim de falar de uma coisa que me estressou agora, e é a razão de eu estar revoltada e fazendo este post.
Como eu já citei, eu cheguei em casa hoje às quatro da tarde. Com fome.
Sabendo de antemão o que tinha na geladeira (meu: um peito de frango congelado, meia cebola, um pouco de extrato de tomate congelado e um champagne e um vinho que eu ganhei do colégio no natal; do Fabiano, mas que eu posso pegar se eu repor depois: uma caixinha de milho e ervilha, muzzarela, um restinho de macarrão penne e um litro de leite), passei no McDonalds (morram de inveja aqueles que não sabem: eu moro a uma quadra de um Mc! :P ) e comprei um sanduíchinho daqueles de três reais (os únicos que valem mais ou menos a pena no quesito custo/benefício) pra viagem.
Ok, comi aquele negócio e fiquei susse.
Sete da noite eu começo a perceber que aquilo não matou a minha fome, e o mercado fecha às nove, no domingo. Vou ao mercado.
Tá. O que eu quero comer?!
Hum... Eu estou com vontade de cozinhar?! Não muito... Algo rápido, com certeza.
Nissim não, nissim é para quando começarem as aulas, e eu tô de férias, caramba! Mas macarrão é uma boa pedida...
Macarrão com atum??? Pode ser! Yeah! Adoro macarrão com atum! É rápido, prático e gostoso.
Vou até as gôndolas de atum.
...
Putz, quatro pila o atum... Ei! Este está três! Ah... Mas não tem aquele anelzinho de abrir... Vou ter que usar o abridor... Saco. Tá, vai o de quatro, mesmo.
Opa! Tem molho de atum pronto! Sempre quis experimentar este molho... E é quase quatro pila, também!
Acho que vou levar este... Será que tem do picante? Opa! Tem! Êêêêêêêêê!
Tá...
Atum, tem macarrão em casa...
Ah! O macarrão é penne... Para fazer com atum eu gosto do parafuso...
E agora?!?
Saco.
...
Não. Macarrão com atum tem que ser do tipo parafuso. Vou comprar um pacote de macarrão parafuso.
E então eu vou até as gôndolas de macarrão.
...
Caramba! Só tem pacote de quinhentos gramas! Vai sobrar muito... E amanhã é segunda, eu começo a dieta, não posso deixar em casa um pacote aberto de macarrão que com certeza eu vou acabar comendo! Droga! Será que não tem menor?!?!
(Procura, procura, procura.)
Saco. Também não vou comer mais essa droga de macarrão com atum.
E devolvo o atum na gôndola.
...
Passeio pelo mercado. O que eu quero, meu Deus?!?! Ai, seria tão mais fácil se alguém estivesse aqui...
"Decide: o que você quer comer?! Strogonoff?!?! Eu faço, minha especialidade! Macarrão!? Qual molho você prefere!? Hamburguer, que tal?!"
E assim eu sairia do mercado em apenas quinze minutos e todos ficaríamos contentes.
Mas não. Não dá. Hoje eu estou sozinha.
Saco.
...
(Nas gôndolas de iogurte e afins.) Hum! Chandele! Ah, mas eu não quero comer doce... Se não eu comprava Trakinas e pronto. Eu quero salgado.
Tá, mas e a sobremesa?! Amanhã você começa a dieta, e vai ficar um bom tempo sem comer chocolate...
...
Beleza, vou levar chandele. Mas não chandele, eu quero aquele aerado... Onde que está!??!
(Procura, procura, procura.)
Ah! Está aqui encima! Oba!
Putz... Mas quase cinco conto... Será que eu levo? Não queria gastar muito... E é só a sobremesa, eu ainda tenho que comprar a janta em si...
...
Melhor não. Deixa quieto. Vou procurar outra coisa.
...
Toddinho! Hum, boa idéia! Tá três reais o pacote com três, mas eu não vou tomar os três hoje... Melhor levar um só.
Ei! Será que não tem individual?! Não acredito!
Droga.
...
Ah, chocomilk vem um só... Cadê ele?!?!
(Procura, procura, procura.)
AHHHHHHHHH!!!!!!!! Não acredito! Não tem chocomilk! E agora?!?!
Saco, saco, saco. Também não quero mais.
...
Chego na parte das carnes.
Hum, eu posso fazer strogonoff... Ah, mas só em pensar em picar a cebola, picar o frango, picar o tomate... Não, tô com preguiça.
Ei, mas esta carne tá barata... Hum, strogonoff de carne, faz tempo que eu não como...
Ah, mas eu não vou cozinhar só pra mim, né. Saco, cadê o Paulo que prometeu que ia aparecer no fim de semana?!?!
...
Lasanha pronta não, muito caro.
Pizza, idem.
Sem contar que eu tenho que tirar todas as panelas de dentro do forno, esquentar ele... Dá mó trabalho e demora um tempão. Não, definitivamente não.
Pizza de microondas?!?! Ótima idéia! Quer dizer, seria, se eu tivesse microondas.
Hum, mas... Tive uma idéia! É isso! Agora vai!
PIZZA DE FRIGIDEIRA!!!!!
E dirijo-me até onde ficam as massas de pizza de frigideira.
...
Saco, saco, saco, mil vezes saco.
Por que razão os malditos fabricantes de pizza de frigideira não produzem embalagens individuais?!?! O quê eles tem contra as pessoas que moram sozinhas e são incapazes de comer, sozinhas, DEZ pizzas de frigideira?!?!
Sacanagem.
...
Massa de pastel, embalagem tamanho família.
Massa de lazanha, embalagem tamanho família.
Massa de minipizza, embalagem tamanho família.
Putz.
...
Depois de umas duas voltas pelo mercado, sem nada que me chame a atenção, volto à gôndola de atum.
Acho que vou levar esse molho de atum, mesmo. E fazer com o penne mesmo. Que se dane.
Isso. Beleza. Vou comer penne com atum mesmo e que se... Ei! Não tinha visto isso! ADORO esse patê de atum! E só quatro pila! Ah, é esse mesmo, e vamos que vamos! Vou pegar umas torradas e pronto!
E vou, bem contente e feliz, procurar torradas.
...
Hum, qual dessas!?!? Bauducco é a melhor. Light, integral, salgada... Pode ser a integral mesmo.
Mas, sei lá... Acho que eu não estou muito afim de comer torradas... Queria alguma coisa quente, não uma torradinha seca e sem graça.
Droga.
...
Voltamos à estaca zero.
Torrada?
Não.
Macarrão?
Não.
Strogonoff?
Não.
...
Saco. Saco. Saco.
...
Juro. A próxima pessoa que disser que capricorniano é que é indeciso apanha.
...
Por fim, uns quarenta minutos depois - e não, eu não estou exagerando - eu saio do mercado.
Com um nissim de bacon e um Ades de chocolate.

3 comentários:

Lucemary disse...

KKKKKKKK...
A M E I o seu post.
Pude quase ver voce no mercado fazendo tudo isto. E ouvir seus pensamentos.
rssss...
faz parte. Mas a maior parte dos mercados, filha minha, já tem embalagens pra solteiros (que ganham bem).
:P
Vem morar com a mamae que voce nao vai mais ter este dilema... eu ateh volto a cozinhar todos os dias... :)

Xeros!!!!

Paulinha Fernandes disse...

Mayinha, eu ia comentar o seu post, mas antes preciso comentar o comentário da mãe: NÃO ACREDITE QUE ELA VAI COZINHAR TODOS OS DIAS QUE ISSO É FARSA!!!
Pronto.
Amei o seu texto. Tive que me controlar pra não soltar gargalhadas, porque os meus chefes não gostam de gente feliz... hahaha
Olha, capricorniano é indeciso mesmo, mas o seu problema é mais grave! Com certeza!
hahaha
E se eu estivesse junto, nem pensar no atum! Humpf!
Te amo vc!
Beijoo

Henrique disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
nissim e ades? preferiria o patê de atum com torradas msm. E olha q iria comer nissim a semana toda ainda, q escolha! é isso q dah escolher de +! rsrs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...